12 de maio de 2019

Vá almoçar em Guaratuba - via Garuva - e ganhe uma multa...

É sabido que ao longo da rodovia que liga a BR 101 até Guaratuba - PR ( Estrada de Garuva) - tem policiais com radares móveis, principalmente nos finais de semana e, claro, nas férias ou feriados.
Sabendo disso tomo bastante cuidado para não ultrapassar nas faixas contínuas e para não ultrapassar o limite de velocidade. Entretanto, um final de semana destes decidimos ir conhecer o Iate Clube de Guaratuba e, como a pista desta estrada é simples - seguíamos uma fila indiana de carros - e como estava fluindo... sem percebermos, já estávamos a mais de 90 km/h...
E não é que um policial com radar móvel não fez a festa aquele dia??? 😭
Muitos carros foram multados em série e o pior... nenhum dos motoristas do sentido contrário avisaram o que estava acontecendo?...
Mas hoje em dia não avisam nem quando tem acidente que dirá um radar móvel, taticamente localizado para dar alguns pontos na CNH...

Não tem nada não... Conhecemos o Iate Clube, o almoço estava gostoso e depois pegamos um sol no Balneário Eliane. ☀️


Todavia fica a dica, cuidado quando você passar por aqueles corredores na estrada, cheios de vegetação porque o radar móvel está por ali, ou atrás de uma placa no posto de gasolina...
Na dúvida é melhor andar à 70 ou 80km/h durante todo percurso...😒

Nos vemos na estrada!!

9 de maio de 2019

Bateria da Bosch para Harley-Davidson - conclusão

Em agosto de 2017, tivemos que trocar a bateria da Heritage - clique aqui para ver a postagem. Como estávamos indo para o interior do RS a única opção numa oficina de motos em Gramado, era a Bateria da Bosch, cujo valor era aproximado de uma bateria Yuasa.

A CCA da bateria da Bosch é de 180 A e a CCA de uma bateria Yuasa é 270 A e, embora tenha menos Cold Cranking Amps ( Amperes de arranque á frio) ela continua funcionando bem e não sofre para dar partida no motor. Nem tem sinal de que está perdendo a capacidade...
Posso dizer que é uma boa opção, bem melhor do que uma Moura... Tive 2 baterias Moura e como elas incomodaram; principalmente nas Harley com alarme 😏


RIDE YOUR WORLD!!!





4 de abril de 2019

Eureka... Mexendo na Bateria de sua Harley-Davidson

Tantos anos mexendo com a bateria das motos, seja para dar carga ou mexer na parte elétrica da moto ou mesmo quando se vai trocar de bateria... Sempre tive um medão de fazer algo errado - conectar ou desconectar o cabo errado na sequência errada; conectar um chicote para facilitar a recarga da bateria ou ainda, quando ia conectar o negativo - dava faísca daí um dava um pulo... e perdia o parafuso na motocicleta. 😑 A propósito, nunca o encontrei...

Sempre que pensava em mexer na bateria, precisava de um tempo para me preparar psicologicamente. E quando desconectava os cabos envolvia-os em pano para não encostarem entre si e para não encostarem na carroceria... Deusulivre estragar a bateria ou queimar alguma coisa 😲.
Nesses anos todos passei por várias oficinas mecânicas e nenhum especialista me falou algo muito simples que facilitaria o manuseio com a bateria. Claro que para eles este é um procedimento que eles fazem de olhos fechados... é a praia deles; mas, para mim é um desafio, rsrsrsrs 😏
Quando conheci o Caio HD da #00 Mechanix, ele me disse que bastava eu retirar o fusível principal da motocicleta , que poderia manusear sem medo a bateria... Eureka!
É claro que está escrito isto no manual, mas sabe quando você pensa que isto é perigoso ser feito por um leigo???
Pois não é... 🙂



Para as motos sem alarme é só desconectar o fusível principal que situa-se embaixo do banco do piloto. E para as motocicletas com alarme - é preciso ligar a chave e apertar o botão de injeção eletrônica e retirar o fusível - pelo menos é o que faço com a minha 48


Então, se esta informação também lhe ajudou... Maravilha!!!

RIDE YOUR WORLD!!!

9 de janeiro de 2019

... Continuo pilotando, simmmm

Embora a gente não goste de admitir em todos os processos e na própria Vida, tem-se um começo - Criação, um meio - Preservação e um fim - Destruição. Esta é uma lei portanto, como lei não pode ser burlada. Entretanto quanto antes compreendermos isto, menor será nosso sofrimento.
Posso usar como exemplo a história de tantos pilotos bem como a minha para descrever estas fases - cuja duração - podem variar de pessoa para pessoa. Mas eu só percebi isto quando passei pelo que tinha que passar...

No início - muitos sonhos, viagens sem fim, exploração de limites e horizontes, novas amizades - poucas verdadeiras, participar de grupos e de encontros - nacionais e internacionais😮 . Comprar a maior moto que se possa conduzir, comprar acessórios mil... Até criar um Blog para compartilhar algo...

Na fase de preservação - as pessoas trabalham para manter e ampliar o status conseguido. Há troca de experiências. Mas há também muitas fogueiras de vaidades... E também continuam a trocar de moto e ou customizá-la mais ainda.

Na terceira fase - já não há mais tantas ilusões e você pode descobrir que os amigos não são tão amigos assim, que os grupos não são criativos e que você prefere fazer seu próprio caminho e no seu ritmo. 
E você também entende que as pessoas precisam ter suas próprias experiências e que ninguém pode evitar dissabores para ninguém. E ainda, se você descobriu que a sua fase em 2 Rodas terminou... Sinta-se agradecido(a) por sair ileso desta brincadeira maravilhosa!🌝

A propósito... continuo pilotando, sim - a minha pequena grande True Joy...


RIDE YOUR WORLD!

Vìdeos Zen na Motocicleta